» Início  |  » Favorite  |  » Recomende  |  » Contatos

 

 

Assine o Boletim Evangélico. Escreva seu e-mail

 

 

Powered by Goocrente

Ajude a Divulgar Nosso Site

 

 

 

» Canais


Página Inicial

Marketing Online

Anunciar no Google

Artigos

Blogs

Cartoes Virtuais

Cifras Gospel

Curiosidades Bíblicas

Destaques

Downloads

Fórum

Imagens Gospel

Jogos Biblicos

Literatura

Mensagens

Ministerio Infantil

Mulher

Musica Gospel

Notícias Gospel

Papeis Parede

Pedido de oração

Piadas e Humor

Quiz

Recadinhos

Saúde

Teatro

Variedades

Videos Gospel


» Mensagens


Adoração

Amor / Romance

Chocantes

Dança

Evangelismo

Finais dos Tempos

Jovens

Missões

Namoro

Poemas / Poesias

Polêmicas

Sexo

Mapa de Artigos

Testemunhos


» Para seu site


Conteúdo Grátis

Parceiros

Publique Nossos Textos

Troca de links

Utilitários grátis


» Especiais


Aprenda Piano

Goocrente

Sexo Cristão

Ministério Adorazione

Profecias Brasil

Criciúma

Igreja Batista

Artigos


Link-nos

 

Teatros Evangelicos

Esta página foi feita para todos aqueles que gostam de teatro e o consideram uma forma de evangelismo e de fazer a obra de Deus. Aqui você encontrará peças teatrais, esquetes etc

CORDEL DO APRENDIZ

Teatro por Autor desconhecido em 19/03/2006


Cenário

Sala de uma casa típica de interior

Personagens

Maria

João

Maria Cremilda

Crianças (quantas ditar propícia)

Narrador canta em forma de cordel

Hoje venho pra contar a história do João que é bravo pra dana e não aceita nada não. Sr. João é da fazenda e não tem estudo não, não sabe lê nem escreve e não “conhece” religião.

No centro do palco se encontra João e Maria sentados em cadeiras.

João: Meu nome Jão, essa é minha muié Maria, nóis tem duas fiá (entram várias crianças) duas dúzia.


BLACKOUT

Entra Sr. João

João: Oh muié, ara... Que fome! Oh muié, meu bucho tá vazio, daqui a pouco ele arria por baxo.

Entra Maria

Maria: Carma Jãozinho, aqui óia. Arroiz com cardo de arroiz. Delícia... (lambendo os beiços)

Enquanto João come Maria rodeia a mesa inquieta.

João: Ara muié, q tá arrodiando a mesa ingual urubu? Se ocê tá cum fome vai pega pru’cê.

Maria: Num é nada disso homi... É que... A Dona Cremilda chamo eu pra i na ingreja hoje e ...

João: Já vem ocê cum essa história de novo... Já falei pru’cê muié que num vai em lugá ninhum. Ocê tá me achando com cara de mula é?

Maria: Ara Jãozinho, que mula nada... Ocê é um toro, forte e valente.

João: Nem vem adula muié, ocê que faze u que nessa tar di ingreja hein? Já vi as muié ingual potranca dançando e cantando lá... Tu tá querendo apronta né muié?

Maria: Ara Jãozinho, pára homi. Se sabe que num é assim...

João: Sei de nada não.

Maria: Mas é claro, num vai a ingreja...

João: Tenho mais o que faze muié...

Maria: Jãozinho... Eu levo as crianças... E ocê fica descansando...

João: Já disse que não muié, ocê num vai ensina essas coisas pras minha moça.Num quero vê minha muié e minhas moça na rua.

Maria: Mas Jãozinho eu num vô tá na rua... Vô tá na ingreja.

João: Pió ainda.

Maria: Óia aqui Sr. João, eu num sai da cidade pra...

João: Ara muié, óia como fala...

Maria abaixa a cabeça

João: Até perdi a fome.

Maria pega o prato e quando vai saindo vê sua filha escondida

Maria: Escutando conversa outra vez né?

Maria Cremilda: O pai é muito chato...

Maria: Óia o respeito menina...

Maria Cremilda: Eu respeito mãe, mas...

Maria: Já tá tarde Maria Cremilda, vá drumi...

Quando a mãe vira as costas Maria Cremilda diz:

Hoje eu fui na igreja...

Maria: Ara menina... Desobedecendo seu pai?

Maria Cremilda: Eu tava indo estuda e ouvi eles cantarem e dizerem bem alto: Deus é lindo... Quem é Deus mãe? Ele mora aqui perto?

Maria: Ele mora mais perto do que ocê imagina...

Maria Cremilda: E a senhora nunca me apresentou ele?

João entra aos gritos

João: Ara, Ara... O que ocês duas taum fazendu? Taum de trelele á essa hora? Vaum pru quarto agora.

João puxa Maria Cremilda

João: To cansado de ensinar moça minha a ser prendada, moça minha não fica pelos cantos carcarejando...

Maria Cremilda: O Sr. não quer aceitar a realidade pai...

João: Ara menina e oq ocê sabe de realidade? Ocê não entende nada... Nem da sua própria vida.

Maria Cremilda: Eu entenderia muito mais se ocê me deixasse í na ingreja pai.

João: Se ocê não pará de falação vô te cafofa menina... Sua mãe já enchendo sua cabeça de caraminhola.

Maria Cremilda: Eu vejo a ingreja cheia de gente pulando, dançando... Eles sim são felizes.

João: Eles são assanhados isso sim.

Maria Cremilda: Não são não pai.(começa a chorar)

João: Já disse pru ce não retruca menina... E pára de choro, já é hora de moça minha tá na cama.

Saem cada um para um lado...

Luz baixa...

Luz alta...

Carcarejo de galo

Maria Cremilda: Vamos meninas, vamos atrasar.

João: Leva suas fia Maria.

João sai por um lado Maria e as crianças por outro.

Na estrada...

Maria Cremilda: Mãe, vamos passar pertinho da ingreja. Vamos dar uma entradinha?

Maria: Não menina, seu pai num ia gosta...

Maria Cremilda: Mas ele num ia nem saber... Vamo mãe.

Maria Cremilda puxa a mãe pra dentro da igreja e as irmã correm atrás

Uma das irmãs: Cadê o homi pelado que ocê viu?

Maria: Ara menina, óia o respeito dentro da ingreja.

Maria Cremilda: Num sei. Psiuuu!

Menos de um minuto depois Maria puxa as filhas

Maria: Vamu, já tá tarde.

Maria Cremilda: Mas mãe nem terminei.

Maria sae puxando as filhas

Maria em casa varrendo e escutando música sertaneja num radinho á pilha. Olha para os dois lados e muda a rádio sintonizada. Ao ouvir uma música agitada de igreja começa a dançar. No auge de sua empolgação João entra furioso e desliga o som.

João: Ocê tá ficando atrevida igual muié de ingreja.

Maria: Eu só tava...

João: Dançando... Eu ví.

Maria: Mas era pra Deus...

João: Ocê lá conhece Deus... Cê nem sabe se ele é bão ou não...

Maria: Sei sim Jão, e ocê também sabe...Sabe que ele morreu na cruz por nós.

João: Por acaso ele ia ser mula de morrer por nós? Isso é tudo mentira.

Maria: Pára Jão, você sabe que num é assim. Ocê sabe tudinho da vida dele.

João: Sei mas não queria nem saber. E ocê num vai ficá ensinando essas coisas pra minhas moça.

Maria: E por quÊ não JoÃo?

João: Ara muié, não quero que elas sofram...

Maria: Pára de bobeira homi... Deus não faz ninguém sofrer, muito pelo contrário.

João: E por que ele me fez entaum? Levo meus pais e me deixo na miséria...

Maria: Ocê só não sabe a resposta por que nunca perguntou pra ele.

João: Não quero mais papo com esse tar de Deus.

Maria: Não adianta cê fugi Jão, se ocê não encontra cum ele aki ocê vai encontra lá no cer.

João abaixa a cabeça

Maria: Ocê é um homi bão de coração. Por isso nunca desisti de ocê. E esse tar de Deus que ocê diz é que num deixó eu te largá. Se ocê dê uma chance pra Deus faço uma canjiquinha pru`cÊ. Que tar?

João: Ara muié...(bravo)

Maria: Ara Jãozinho.(carinhosa e o acariciando)

João anda para um lado e para o outro enquanto Maria o olha com carinho. João pára no centro do palco.

João: Tá bom muié, mas ocÊ que num faiz minha canjica pra vÊ...

Maria: Craro que faço Jão.

Narrador (canto em forma de cordel):Sr Jõao foi vencido pela oração de Maria, seu coração amolecido e sua fé fortalecida.

Maria (canto cordel): A paciência é o Dom divino que Jesus me cedeu e hoje tenho o marido que a mim prometeu.

Crianças (canto cordel): O coração do meu papai Jesus converteu e o que era impossível hoje mesmo aconteceu.

Silêncio, todos olham para João.

João: Ara, ocês já querem demais.

FIM

 

Tags sobre Teatro

 

teatro  peça teatro  peças teatro  teatros  peça de teatro  teatro evangelico  teatro evangelico  teatro infantil

 

Publique Artigos

Opine


O que você acha da Rede Record?



Prega princípios bíblicos
É uma mistura entre secular e cristão
É uma emissora como outra qualquer


    resultados

 

 Busca e Pesquisa Evangélica

 

Ouça o CD que têm causado milagres e transformação no Brasil! Ramon Tessmann 2009

 

 

Política de Privacidade    Mapa do Site    Quem Somos    Contate-nos   

Copyright © Since 2006 LinksdeJesus.com

Mais: Downloads  Pregação  Videos  Orkut Gospel  Estudos  Poesias Amor